Resenha - Passarinha - Kathryn Erskine

escrito por Rafael Fernandes

Título: Passarinha
Autor: Kathryn Erskine
Editora: Valentina
Páginas: 224
Onde comprar: Aqui
Nota sobre o livro: 5 de 5
Book Trailer

Sinopse:
No mundo de Caitlin tudo é preto ou branco. As coisas são boas ou más. Qualquer coisa no meio do caminho é confuso. Essa é a máxima que o irmão mais velho de Caitlin sempre repetiu. Mas agora Devon está morto e o pai não está ajudando em nada. Caitlin quer acabar com isso, mas como uma menina de onze anos de idade, com síndrome de Asperger ela não sabe como. Quando ela lê a definição de encerramento ela percebe que é o que ela precisa. Em sua busca por ele, Caitlin descobre que nem tudo é preto ou branco, o mundo está cheio de cores, confuso e bonito.

Comentários:
Caitlin é uma garota de apenas 11 anos, seu mundo é sobremaneira diferente do nosso, tudo que se leva ao pé da letra ela o faz, por isso tudo deve ser explicado a ela. Caitlin tem síndrome de Asperger, um tipo de autismo considerado do tipo leve.
Depois que seu irmão morreu em um atentado, passou a chamar esse dia como "O Dia Em Que A Nossa Vida Desmoronou", o pai de Caitlin já não sabe mais como lidar com essa situação, Devon era quem  outrora passava a maior parte do tempo com Caitlin, ensinando-a a se adequar no mundo tão diferente do dela. Após ouvir no telejornal sobre o Desfecho do massacre que ocorreu na escola de Devon, ela resolve saber mais sobre ele e em seguida consegui-lo de qualquer forma com a ajuda de outros personagens.

Passarinha é um livro intensamente emocionante e sensível! A escrita da autora Erskine promove uma calorosa intimidade para com o leitor, impossível ficar sem chorar. Apesar de Caitlin atuar no livro em 1ª pessoa, parece que durante a leitura nos sentimos mais como se fôssemos um personagem extra na história, como se pudéssemos ajudá-la a conseguir o Desfecho.

Para Caitlin era difícil captar o Sentido de alguma coisa, por exemplo quando as pessoas ao seu redor não captavam o Sentido ("olhe nos meus olhos quando estou falando com você") ela sempre ficava confusa e alguém sempre tinha que explicar aquela situação. Para ela era como aprender algo novo, mesmo sendo difícil de compreender certos detalhes, ela estava tentando ser alguém mais que especial, ser ela mesma.
Mais um livro realmente tocante que a Valentina trouxe ao Brasil, estou sem palavras para descrever como foi emocionante ler as páginas finais de Passarinha, assim que verifiquei a página 224, voltei mais um pouco para sentir se aquilo foi mesmo real. Foi mesmo, um sonho e uma realidade, tudo misturado. Com certeza um livro que super recomendo. Leiam! 


4 Comentaram:

  1. Primeira resenha que leio e fiquei encantada!!!!
    Só ficou uma curiosidade..se a doença é detalhada(adoro detalhes..rs)
    Deve ser realmente uma história tocante..afinal, qdo se lida com crianças, perdas..tudo se torna tão emocional, visceral..eu diria.
    É preciso "olhar" nos olhos de todos...de todos.
    Com certeza, a Valentina vem arrasando e esse é mais um dos livros que quero ler!!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Gostei da sua frase: "É preciso "olhar" nos olhos de todos...de todos." É isso mesmo, a gente tem que sempre se atentar ao nosso redor, todas as pessoas precisam de cuidado, somos humanos claro.
      Sobre os detalhes, Caitlin as vezes não conseguia captar, por isso nós (leitores) também não conseguíamos, porque de uma maneira extraordinária estamos conectados a ela. Incrível!
      Beijão!

      Excluir
  2. 9723493826923 anos depois, olha eu aqui fazendo uma visita hahahaha
    Primeiro tem q falar dessa capa, ne? A Valentina tem caprichado nas capas (tirando aquela com a menina do cabelo roxo na capa rs), e a história de Passarinha parece ter um estilão todo próprio!
    Aliás, muito legal da sua parte colocar o hiperlink da doença! Inclusive Einstein foi diagnosticado com essa síndrome!
    Cara, deve ser interessante ler um livro em primeira pessoa em que o narrador tem essa doença, mas eu fico meio inseguro, porque não deve ser fácil escrever uma história como essa, porque não é fácil tentar pensar como alguém com essa doença. Fiquei a fim de ler esse livro, agora. Mas tô sem condições de comprar, então, pelo menos por enquanto, vou curtir a curiosidade ahahahaha
    Abração!

    Pedro Almada
    http://inspirados-oandarilhodotempo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Lindo, lindo, lindooo! rsrs
    A resenha e o livro. Ainda não li, mas estou com ele aqui e já já passo na frente de outros. Na Bienal a vendedora do estande falou tanto desse livro e com tanta paixão, que fiquei encantada. Não vejo a hora de ler *-*

    Adorei as fotos, a capa é linda demais!

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir