Resenha - O Lado Bom da Vida - Matthew Quick

escrito por Rafael Fernandes

O Lado Bom da Vida
Autor: Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Páginas: 256
Onde comprar: Aqui
Nota sobre o livro: 3 de 5

Sinopse
Pat Peoples, um ex-professor de história na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um "tempo separados". Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, sua esposa negando-se a aceitar revê-lo e seus amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora um viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida. À medida que seu passado aos poucos ressurge em sua memória, Pat começa a entender que "é melhor ser gentil que ter razão" e faz dessa convicção sua meta. Tendo a seu lado o excêntrico (mas competente) psiquiatra Dr. Patel e Tiffany, a irmã viúva de seu melhor amigo, Pat descobrirá que nem todos os finais são felizes, mas que sempre vale a pena tentar mais uma vez. Um livro comovente sobre um homem que acredita na felicidade, no amor e na esperança.

Resenha:
O que eu posso dizer de um livro que não me surpreendeu, mas me emocionou tanto? O livro em si é muito bom, mas  não foge do clichê que os dramas de hoje em dia nos contam. Pra falar a verdade, estou começando até a achar que isso é um elogio.

Pat é um personagem carismático, que me prendeu desde a primeira página, mas não o achei tão interessante quanto gostaria, apesar de ter adorado sua atuação, demonstrando ser uma pessoa muito afável e esforçada. 

Pat não tem noção do tempo que perdeu, nem sabe quando foi a última vez que viu Nikki, sua  percepção de tempo me deixou perdido algumas vezes. No passado cometeu um grave erro, que só é revelado no final, ele sofreu muito com as emoções e acabou no "lugar ruim", logo após saída passou a fazer terapia para se readaptar a vida com sua família, e tão breve sua vida normal, mas Pat só queria ver Nikki de novo, queria reatar com ela, acabar com os "tempos separados".

Num jantar casual ele conhece Tiffany, a irmã viúva de seu melhor amigo, a garota problema. Quer dizer, ninguém no livro é perfeito, mas a relação de amizade entre eles passa a ser legal e até divertida.

Sem contar que o autor escreve tão bem a breve história, a narrativa fácil de entender, juntamente com a diagramação perfeita, que acaba me convencendo de que a história tem um quê diferente das outras.

Toda vez que caminhava, Tiffany o seguia, nenhum dos dois se cansavam de correr, ele estranhava essa ação da parte dela, e se perguntava o porquê que ela fazia isso, visto que os dois nem se falavam quando corriam juntos.

Pat não descarregava sua raiva em ninguém, ele tinha seus problemas na cabeça, isso é fato, mas ele descontava tudo na sua musculação, nos seus exercícios físicos, teve um momento que ele perdeu o controle, mas prometeu a si mesmo que se controlaria, não queria voltar para o "lugar ruim", claro que não, ele queria agradar a Nikki, talvez sua família, ele queria voltar a ser o que não era. Talvez um esposo perfeito. Até porque ele pregava ser gentil e nunca perder a cabeça com nervosismo ou raiva, coisa que Nikki detestava.

Tiffany também não é tão sã, ela é viúva, uma personagem muito empática, ela acabou de perder o marido, talvez não tão breve assim, mas ela ainda está superando a morte do mesmo, ela vê em Pat alguém diferente, alguém que possa talvez substituir sua dor... E é aí que começa minha frustração, o livro me pareceu muito previsível, eu acabei acertando tudo, inclusive o final, que confesso que me emocionei com ciente previsibilidade.

Um drama que jamais vou querer esquecer, claro.

Em suma, um livro com tanta de emoção assim é um prato cheio para quem adora um bom drama, Pat com certeza fará muita gente repensar na vida que leva.

“Matthew Quick constrói tantas situações absurdas, permeadas por sentimentos tão verdadeiros, que é impossível não torcer por seu improvável herói."  People Magazine
“É difícil não se emocionar com o destino de um homem que, apesar das muitas provações, ainda tenta acreditar na esperança e na fidelidade, enquanto trava uma batalha para recuperar sua sanidade mental.”  The Wall Street Journal


22 Comentaram:

  1. Um livro que sempre indicarei. Apesar do filme eu ter odiado por alterar grande parte de toda temática.

    Parabéns pela resenha!!!

    Philip Rangel
    Entrando Numa Fria

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante do filme. Gente, a própria vida é clichê o que dizer então de um livro (ou filme), né? rs
    Pelo que li na resenha há algumas diferenças entre os dois. Bom, vou colocar o livro na lista de futuras leituras.
    Todos nós temos um pouco de Pat e Tiffany...
    Gostei da resenha.
    Ah, recomendo o filme. Mas vá sem expectativas.

    (:

    ResponderExcluir
  3. Eu adorei esse livro *-* Me vi envolvida com Pat de uma forma que é até difícil descrever ><


    Aliás, durante a leitura eu me convenci de que o Pat meio doido era uma pessoa muito melhor do que o Pat são de antes =D


    Beijos,
    Nanie

    ResponderExcluir
  4. Oi Nanie, assim que terminei sua resenha, já fiquei doido pra ler o livro, corri na net e achei um pdf do mesmo, acabei rapidinho... Agora pouco conferi o filme e me decepcionei um pouco, mesmo assim a história é muito boa. Obrigado Nanie.


    PS: Concordo com vc, Pat doido é uma versão bem melhor. haha
    Se não fosse por isso, nem teria história emocionante.

    ResponderExcluir
  5. Eu vi o filme muxaxa, e não gostei tanto quanto gostaria, era para eles ganharem a dança, no filme eles perderam, e por que o pai de Pat fala tanto no filme??? AAaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  6. Rafa não vou ler porque eu já assisti o filme e não quero mais nenhuma referencia rs , é uma das minhas próximas leituras , quando eu ler eu volto aqui e comento a sua resenha ok :)

    ResponderExcluir
  7. Mah, eu quase pensei que vc não queria ler o livro. Eu te perdoo
    Mah, eu vi o filme e o livro, não acredito que tinha tantas coisas diferentes, a Gessica falou para eu não criar expectativas, mesmo assim eu adorei o filme. *-*

    ResponderExcluir
  8. Eu vi o filme e fiquei interessada em ler o livro.
    Até acho que o final (do filme, no caso) é previsível, mas achei a história tão encantadora que quero ler o livro.


    Beijo,


    Carissa
    http://artearoundtheworld.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Não li o livro e provavelmente não irei ler, sabe? É que assisti ao filme, não aguentei a curiosidade e sempre que faço isso, perco a vontade de fazer a leitura hahaha Por mais que tenha gostado :(


    Enfim, aí sobre o filme, eu gostei muito da história, mas não acho que seja bastante para concorrer ao Oscar... enfim. :x


    Bjs, Kel - www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
  10. Acabei de saber q ganhei esse livro em um blog q participo e como tava doida pra ler, imagina minha felicidade né?rs
    Achei uma história tão singular, tão real..q fica complicado não querer devorar ele logo.
    Ainda não consegui ver o filme, mas é outra coisa q quero fzer em breve.
    Sei lá..o personagem parece q vive conflitos tão reais, tão nossos...rs q fica dificil não associar a alguma época da nossa vida!
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Rafael, eu ainda não tive a oportunidade de ver o filme, mas espero não me decepcionar... eu já sei que é bastante diferente e vou assistir com a mente aberta.

    ResponderExcluir
  12. Já assisti o filme, e agora me deu uma baita vontade de ler o livro! Rafa mais uma resenha muito bem feita! Parabéns!

    ResponderExcluir
  13. Comentário eu abro a boca kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  14. Um dos livros que sempre indico para qualquer um. A transformação de Pat é algo que me surpreendeu, que apesar de todos os problemas, devemos levar pelo lado bom da vida e de nossos fantasmas uma nova maneira de viver.

    Rir muito com a Tiffany, hehehe até ver que ela passa pelos mesmos problemas que o Pat, só que de formas diferenciadas e nem por isso deixou de viver. Os lados se atraem...

    Philip Rangel
    www.entrandonumafria.com.br
    Entrando Numa Fria

    ResponderExcluir
  15. Não li o livro, mas já assisti ao filme e gostei bastante (mas não acho que mereça o Oscar :p). Por causa disso não sei se irei ler, Rafa... bate preguiça sempre que vejo primeiro o filme rs.


    Bjs, Kel - www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
  16. Ahhhh Rafa!! Eu gostei do livro, achei ele bem fora do clichê, curti o pat (achei ele meio bocó, mas achei essencial que ele fosse assim).
    Não entrou para minha lista de favoritos, mas não posso negar que foi muito bem escrito.
    O que acabou com o livro foi o filme"inspirado" nele...rs


    Beijos


    Ana
    @blogeuleitora
    www.euleitora.com.br

    ResponderExcluir
  17. Sabe quando todo mundo fala de um livro e mesmo assim você não sabe quase nada dele? Pois é. Agora que estou me situando da história de O Lado Bom da Vida. Ainda assim, não estou tão animada. Preciso de um tempo separado para ler os dramas (: Mas boa dica! Talvez eu mude de ideia.

    Beijos,

    Mars - Letras de Chá.

    ResponderExcluir
  18. hahahahaha Verdade. O pai dele fala muito. ¬¬

    ResponderExcluir
  19. Soltando mais spoilers, essa é a Gessica.

    ResponderExcluir