Resenha - Em Chamas - Suzanne Collins

escrito por Rafael Fernandes

Em Chamas
Título: Em Chamas
Autora: Suzanne Collins
Editora: Rocco
Onde comprar: Aqui
Nota sobre o livro: 5 de 5

Sinopse:
Mistura de ficção científica com reality show, passando pela mitologia e pela filosofia, Em chamas é o segundo volume da bem-sucedida trilogia iniciada com Jogos Vorazes, mais novo fenômeno da literatura jovem dos últimos tempos. Com mais de quatro milhões de exemplares vendidos apenas nos Estados Unidos e por 130 semanas na lista dos mais vendidos do The New York Times, a trilogia assinada por Suzanne Collins ganhará adaptação para o cinema, com estreia prevista para março de 2012. Depois de os Jogos Vorazes, competição entre jovens transmitida ao vivo para todos os distritos de Panem, Katniss agora terá que enfrentar a represália da Capital e decidir que caminho tomar quando descobre que suas atitudes nos jogos incitaram rebeliões em alguns distritos. Dessa vez, além de lutar por sua própria vida, terá que proteger seus amigos e familiares e, talvez, todo o povo de Panem.

Resenha:
SPOILER
Na sequência de Jogos Vorazes, Em Chamas dá um estrondo de expectativa. Ler este livro foi como estar dentro de uma arena, cercado de perigo e um romance infindável.

Diferente de qualquer coisa que já tenha lido, Em Chamas entrou para minha lista de favoritos, e não tenho palavras para falar sobre, se não as seguintes. 

A forma cativante e envolvente como Suzanne Collins discorre a narrativa é viciante, tanto pela forma contextual, quanto pela forma abrangente dos aspectos sentimentais dos personagens, ela não deixa nenhum detalhe escapar, como se tecesse cada dúvida que o leitor poderia ter do primeiro volume para ser dito neste.

Katniss continua quente, conhecida como a garota Em Chamas, a garota que desafiou a Capital, ela quer agora somente curtir sua vida luxuosa com seus familiares e claro com Peeta também. Já que essa é uma das condições para sua sobrevivência. A Capital não está feliz por eles, ninguém pode desafiar a Capital, nem mesmo o único casal que venceu o Jogos Vorazes.

Por isso ela juntamente com Peeta enfrentará um massacre.

Isso é visível na contra capa do livro: “Os Jogos Vorazes continuam”, sim o Presidente Snow pronuncia via rádio que haverá a Colheita para o Massacre Quartenário, não são de novos tributos, mas de todos os vitoriosos dos últimos jogos, isso foi motivo de motim dentro dos distritos. Eu sei que as distopias tem esse papel, mas não me agradou ver a frieza na forma como os tributos matavam uns ao outros, como os Pacificadores puniam seus criminosos, parecia que os sentimentos bons já não existiam mais, e o mundo estava acabando, mas no final eu sabia que tudo acabaria bem, talvez.

Os jogos só existiam para divertimento da platéia, isso é claro. Mas como é possível gostar de assistir à um massacre em uma realidade tão crua e nua. Como pessoas tão instruídas e bem vestidas e educadas poderiam ou quereriam ver tais divertimentos com a morte alheia. Me surpreendi com esse enredo macabro, já que não estava acostumado com esse novo estilo.

Em suma, Katniss e Peeta voltam aos Jogos, mas o plano agora é manter Peeta vivo, eles fecham parceria temporária dentro da arena com alguns tributos, isso lhes darão créditos para viver mais, mas não se sabe até quando...

Gale não apareceu muito no primeiro, e muito menos no segundo. Fiquei com o pé atrás, quando terminei a leitura e percebi, que o que Katniss sente por Gale só pode ser um amor de primo, como a Capital anunciou a todos. Sou Team Peeta, mas deixar Gale de lado... não dá Suzanne.

A pose romântica de Peeta Mellark permance, ele parece tão indefeso, mas quando abre a boca pra declarar seu amor para Katniss e a beija, impossível não se emocionar, o livro se torna a coisa mais fofa de se ler. E agora não se trata de encenação, eles realmente se gostam, se amam, e falam o que sentem, já que Katniss parece retribuir os carinhos de Peeta. Os dois estão mais unidos do que nunca, mas não espera partes melosas do livro, não têm, são só beijos secos, e algumas noites juntos na cama para dissipar pesadelos.

Dentre todas as capas, acho essa a mais bonita, por causa da cor vermelha. Amo!

Como já disse a narrativa realmente é gostosa de ler, contada pela própria Katniss, aparecem personagens diversos e novos na área, que acho melhor conhecê-los lendo, e em se tratando de expectativa para o final, a esperança prevalece tanto para Katniss quanto para o resto dos distritos, leiam, irão ficar loucos para ler A Esperança, assim como estou. 


0 Comentaram:

Postar um comentário