Resenha - Pollyanna - Eleanor H. Porter

escrito por Rafael Fernandes

Título: Pollyanna 
Autora: Eleanor H. Porter
Editora: Martin Claret
Onde comprar: Aqui
Nota sobre o livro: 5 de 5

Sinopse:
A pequena Beldingsville, uma típica cidadezinha do início do século XX na Nova Inglaterra, Estados Unidos, nunca mais seria a mesma depois da chegada de Pollyanna, uma órfã de 11 anos que vai morar com a tia, a irascível e angustiada Polly Harrington. Por influência da menina, de uma hora para outras tudo começa a mudar no lugar. Tia Polly aos poucos torna-se uma pessoa melhor, mais amável, e o mesmo acontece com praticamente todos os que conhecem a garota e seu incrível "Jogo do Contente". Uma otimista incurável, Pollyana não aceita desculpas para a infelicidade e emprenha-se de corpo e alma em ensinar às pessoas o caminho de superar a tristeza.

Resenha:
Pollyanna é um livro simplesmente emocionante, sei que parece clichê, mas é a pura verdade. O simples fato de que a maioria das pessoas terem lido esse clássico, e eu ter relido ele agora, me fez voltar às emoções no qual tinha esquecido que já tinha sentido, foi mágico, foi extasiante, e percebi o quão doce foi a leitura de Pollyanna.

Tia Polly, é a tia de Pollyanna, a única parente próxima dela. Ela passa a morar na casa da tia já que as Auxiliadoras pediram à Miss Polly para ficar com ela, se não ela iria para outro lugar, no qual ela não gostaria de estar. Chegando à casa de Miss Polly, Pollyanna conhece Nancy, a empregada da casa, logo de princípio notou que a menina ficava contente com tudo, com qualquer coisa, inclusive com o quarto do sótão que a sua tia a deu para dormir, ela ficou contente pelo quarto não haver espelhos, e vários outros detalhes que normalmente ninguém iria gostar, e agradecia sempre a Tia Polly por tudo.

Com o tempo, Pollyanna passou a visitar a vizinhança, muitas e muitas pessoas diferentes, a ensinar o Jogo do Contente, e todo mundo começou a jogar com ela, ela ficava tão feliz quando as pessoas jogavam com ela. As pessoas que eram rabugentas passaram a se tornar outra pessoa, uma pessoa melhor, o que dava espanto para outros que sabiam mais tarde de tal feito, e o jogo foi se espalhando.

Quando peguei o livro para ler, que recebi de parceria com a Martin Claret, já sabia que existia algo mágico no livro, porque li ele há tempos, decidi reler para voltar emoções passadas. É um livro muito querido, mas que eu não tinha na estante.

Pollyanna é uma personagem meiga, simpática, sorridente e sempre contente. O jogo foi ensinado pelo seu pai, acreditava que assim que separasse da filha nunca haveria tristeza por qualquer parte, e dizia que quanto mais difícil era o jogo, mais legal ele se tornava. Tia Polly não sabia do jogo e não se interessava por enquanto.

A história se passa numa época antiga, então fiquei imaginando Pollyanna em seus vestidos a requinte, toda chiquetosa ao lado de sua tia. Lembro ainda, quando Miss Polly a leva para comprar roupas novas, e ela fica super contente. Nancy até achou estranho.

Quando Pollyanna adoece a cidade toda fica triste por causa dela, mas eles vão até ela para dizer o quanto estão contentes por tudo, o que fizeram por eles, e ela passa a ficar contente por um tempo, por saber que seu Jogo ter se espalhado assim, e fazendo muitas pessoas contentes. Pollyanna começava a quebrantar coração de sua tia aos poucos, pois muitas pessoas vinham visitar Pollyanna...

Queria contar da Tia Polly, da transformação que Pollyanna consegue fazer, no qual fico tentado a conhecer pessoa igual à Pollyanna, que no caso, faz com que qualquer tristeza se transforme num sorriso contente.

Fiquei contente também por saber que a personagem Pollyanna teve um final feliz, isso não é um spoiler, pelo menos não para mim, seria spoiler se eu contasse o que aconteceria. Só digo que o final foi digno de rolar lágrimas na pele de qualquer um. 

Esse é um livro que recomendo muito, muito e muito. É um dos meus favoritos do ano, no entanto se ainda não leu, peço para que leia, porque é um livro maravilhoso. Já quero ler “Pollyanna Moça”, que é a continuação dessa história tocante, sim, sim.


17 Comentaram:

  1. Muito tocante sua resenha. não conheço o livro, mas quero ler. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Uau... Nunca tinha ouvido falar desse livro e confesso que nunca me interessaria por ele por causa de sua capa, mas confesso que pela resenha me interessei um pouco em conhecer a história. Parece ser bem óbvia a história, mas sendo bem escrita isso não importa. Vou procurá-lo e espero ler em breve.

    Muito boa a dica e adorei o blog...

    HUGS =D!!!!
    Joe Silva - @j0eSilva - Blog EP
    http://escrevendoaospouquinhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, esse livro foi o meu favorito até agora esse ano! ^^
      Obrigado pelas palavras!

      Excluir
  3. Não sabia o quanto esse livro seria tão doce , quero ler , sua resneha está perfeita rafa !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, irás se encantar com a Pollyanna e seus personagens!

      Excluir
  4. Oi Rafa!
    Li esse livro há muitos anos e adorei, a Pollyana nos passa uma lição de vida e tanto né?
    Eu gostei mais de Pollyana Moça ^^
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, uma lição e tanto, e apesar disso, quem lê o livro quer jogar também! ~~

      Excluir
  5. Já vi algumas resenhas desse livro, Rafa e todas falavam sempre muito bem dele. Eu gostei bastante da sua opinião, mas não sei... Ainda não é o tipo da história que me interesse muito, sabe? rsrs

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aposto que você vai adorar e se emocionar, leia sim Kel! Beijos! ^^

      Excluir
  6. A menina que de tão contente, foi considerada por muitos irritante.
    Ah, esse livro é incrível!
    Confesso que tento, sem sucesso às vezes, jogar o Jogo do Contente. Pollyanna fazia tudo parecer tão fácil.
    Odiei a tal da Tia Polly no início, mas depois...
    Todos deveriam ler esse livro!

    (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, nem acho ela irritante, apesar que parece, ela só é uma criança abençoada... Você tem razão, todos devem ler esse livro! ^^

      Excluir
  7. Qual é o ensinamento deixado por pollyanna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Janaina,
      Eu sinceramente não esperava por esse comentário, nem pela pergunta... Mas vou tentar responder com todo o carinho.
      Bom, faz um pouco de tempo que li Pollyana, e foi um dos melhores livros que já li em toda a minha vida, ele passa uma mensagem muito esclarecedora sobre o comportamento das pessoas em relação a felicidade, para muitos é difícil rir diante de tantas desgraças e atrocidades, porém, o livro sob a ótica de Pollyana torna o mundo irreal, mas que se praticado pode ser bem real.
      Eu aprendi tantas coisas, as vezes me pego lendo umas páginas para tentar praticar o jogo que ela tanto cultua, eu tentei uma vez não deu certo, minha mãe estava estressada porque estava faltando algumas coisas em casa e não conseguia contar algo para ela que a deixasse contente, foi aí que lembrei do jogo do contente de Pollyana, eu disse "Mãe, eu acho que não nos falta nada, temos tantas coisas que você nem imagina", ela disse "Não temos não, por que você acharia isso", eu "Porque temos uma horta no fundo de casa e podemos viver dela até termos as regalias do globalismo"... Acho que você me entendeu, não foi bem assim que disse, mas foi assim que consegui me situar, sempre tem algo bom por trás de tanta tristeza é só a gente pensar mais.
      Resumindo, eu aprendi que é possível ser feliz em meio a tantas infelicidades. Só basta ver pelo lado positivo e tentar fazer quem esta ao nosso redor mais feliz ainda, falando claro, sobre o jogo do contente.

      Super beijo!

      Excluir
  8. como pollyanna foi recebida por miss polly

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Janaina (novamente) =D

      Fico contente com seus comentários. Claro que vou responder com todo carinho novamente.

      Pelo que me lembro Pollyanna foi recebida por sua tia com menosprezo, a mesma não ligava para a felicidade espontânea de Pollyana, muito menos para o seu jogo, mas com o tempo vemos que o rancor de Miss Polly ia aos poucos se desfazendo e apresentando suas razões.
      O tratamento de Pollyana para com Tia Polly era de total respeito, ela obedecia e fazia seus deveres com todo amor. Só que Tia Polly não conseguia entender como ela gostava de ser tratada daquele modo, ela tentava de tudo para que sua sobrinha ficasse para baixo, mas ela vinha com um motivo para ficar feliz. Era isso, Pollyanna era um enigma para a tia.

      Espero que tenha conseguido a resposta. Beijos!

      Excluir