Faça do livro um objeto pessoal, um objeto íntimo

escrito por Rafael Fernandes

Escreva nele; assinale as frases marcantes, as passagens que o emocionam. Também é importante criticar o autor, apontar falhas e inverossimilhanças. Anote telefones e endereços de pessoas proibidas, faça cálculos nas inúteis páginas finais. O livro é o mais interativo dos objetos. Você pode avançar e recuar, folheando, com mais comodidade e rapidez que mexendo em teclados ou cursores de tela. O livro vai com você ao banheiro e à cama. Vai com você de metrô, de ônibus, e de táxi. Vai com você para outros países. Há apenas duas regras básicas: use lápis; e não empreste. [Entre Livros]
Eu ainda não tive a coragem de pegar um livro novo (velho também não), pra rabiscar, nem que seja os quotes mais lindos do livro, sei lá, parece que estou agredindo o livro. Mas acho bonito quem o faça, o livro deve ser usado sim, lido claro, mas à lá com seus cuidados. Já que o livro não para, o objetivo agora é deixar marcas nele além da leitura, escrever memórias e emoções do que o leitor sentiu durante a leitura. Às vezes, só rabisco um livro, para depois ver o significado de tal palavra, tem lá suas dedicatórias e autógrafos manuais, tem lá minhas fotos guardadas, como se fosse um diário, misturado com uma histórias épica da Meg Cabot, tem lá um monte de coisas bestas...
De qualquer forma, um livro não pode se dar ao luxo de ficar limpo e não-rabiscado pra sempre, ele é nosso, e podemos fazer nele o que quisermos, rabiscar, mostrar nossa raiva, nossos sentimentos, falar pra ele que amo tal pessoa, o livro é nosso amigo e podemos contar tudo pra ele, podemos cuidar dele dessa forma. Só isso, deixe que suas palavras tocam o livro, assim ele se abrirá mais para você.


7 Comentaram:

  1. Adorei o post!
    Mas não consigo "rabiscar" meu livro...rs
    Essa de marcar frases e fazer comentários, definitivamente não é comigo!
    A única marca que ele traz é meu nome, mês e ano da compra! rs
    Adorei o blog e já estou seguindo. Convido você a conhecer o Sook e se gostar, seguir também.
    BjO
    http://www.the-sook.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pela resposta... Também não gosto, mas há quem ouse, tipo nossas emoções durante a leitura... Enfim, há quem não goste! Mas que tomemos o livro como íntimo e pessoal. See ya!

      Excluir
  2. Olá Rafael!
    Eu ADORO rabiscar em livros. Na verdade gosto de rabiscar coisas úteis (que podem ser úteis para uma resenha, ou somente algum trechinho que me encantou, para eu poder usar em algum momento da vida). Acho interessante essa ligação que o leitor tem com o livro. O mundo que ele conhece e vive através da leitura é inacreditável. Só quem lê sabe o poder e a magia que existe dentro de um livro.
    Adorei o texto, e sua opinião também. Cada opinião é sempre bem vinda!

    Lindo o blog, sucesso!
    http://bestherapy.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, o livro tem que ser nosso amigo, então, temos que aproveitar dele.

      Excluir
  3. Eu, particularmente, não gosto de rabiscar os livros. Sinto como se estivesse rabiscando uma parte do meu corpo. Tipo a Pena de Sangue em HP, sabe? ^^
    Opiniões... rs
    Ah, mas rabisco e muito os livros didáticos. Esses é preciso. rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também concordo, boa, e muito usado a sua tese. Na última frase é "são"... Beijos!

      Excluir
    2. É, pois é. Percebi o erro do "são" depois que já tinha enviado. ¬¬
      Mas, obrigada!

      Excluir