Resenha - Ainda não te disse nada - Mauricio Gomyde

escrito por Rafael Fernandes

Ainda não te disse nada
Marina é jovem e estudante de Moda, mas trabalha nos Correios, seus pais são italianos e vive da padaria. Quando aparece uma jovem senhora na livraria perto da escola, que fala da profissão dela de escrever cartas para pessoas que tinham morrido. Essa mulher de repente some, e uma carta aparece pra ela no Correios, e como sempre voltava decidiu ela mesma entregar pessoalmente, quando vê que M está morta. Heitor, tão distante, se soubesse ficaria muito triste, ela leu a carta e decidiu continuar o trabalho da senhora. Isso e muitos fatos acontece no livro. Um livro super bacana, aonde os sonhos pode se tornar realidade quando se menos espera, ou até que o destino dê a sua cara.
"Ainda não te disse nada", é um livro que você lê e não quer parar mais. Com uma narrativa que discorre tão rápido que você parece que entra nele em 3D, porque pode parecer chato no início, mas diluí de uma forma bem acolhedora nas páginas seguintes. Marina com sua beleza juvenil, tem sua família italiana, seu pai padeiro, e sua mãe também, seus irmãos super descolados, meio que engraçados, também super divertidos, as amigas de Marina, que sempre davam moral pra ela nas horas difíceis [TLT]. Ela está estudando o último ano de Moda, e sonha em viajar pra Paris e trabalhar lá, no mundo da grife, quem sabe aprender francês, o que ela não quer é se tornar padeira, o que realmente não teria dom pra isso, só seu irmão, que já pegou a empreitada.
Seguindo a história, com um belo contexto, o autor nos guia fácil pela jornada de Marina, que acaba por obra do destino ter que continuar a escrevendo cartas para Heitor, e ela escreve, mesmo que não seja nas palavras da sua amada, mas ela tentou e se apaixonou por ele.
Estou até agora sem palavras, não é do meu feitio gostar de livros escritos por brasileiros, mas acho que esse foi outro que adorei, simplesmente com uma leitura super dinâmica e super descontraída, mas consideravelmente popular.
Não gostei muito do começo, achei massante, o autor ficava enrolando muito, e eu queria ação desde o início e não achava, estava quase desistindo do livro e de repente, tudo muda na monotonia da vida de Marina, é como se milhões de oportunidades aparecessem do nada à ela, e tudo coisa boa, fora alguns desagradáveis, tipo o troglodita do Luca, professor da faculdade de Moda, sobre essa parte não posso contar mais.
Daí, fui me divertindo com várias cenas, que ela me pegou, tipo quando saía pra se divertir com suas amigas, e nunca se permitia ficar triste, achei isso bem interessante, porque geralmente, quando algo ruim acontece às pessoas, elas tendem a se isolar. Mas de fato, Marina é uma mulher diferente e forte e com muito amor, nunca li nada parecido, de uma personagem tão marcante quanto ela, de sua doçura, beleza e por sua genialidade a parte, que são puramente divinas.
Ela trocando cartas com o velho Heitor, foi uma coisa louca, nunca faria o que ela faria, não teria palavras pra dizer se eu tivesse no lugar dela, ela foi corajosa, e mudou a vida dela, que ela mal percebeu.
A leitura é em 1ª pessoa, ela se abre pra nós leitores de uma forma, que podemos entrar também, vendo ela se encenando, mas sem nos deixar tomar conta da história, o que não podia, claro. Mas enfim, Marina está de parabéns, mereceu o fim que teve, foi lindo gente, eu amei o livro, não me canso de repetir isso, mesmo que fique chata essa resenha e eu babão pelo livro, só tenho isso a dizer, nunca uma história tão monótona me pega de jeito assim, Mauricio Gomyde me surpreendeu nessa narrativa tão simples, com personagens tão marcantes quanto Marina e a veracidade do amor, distância e cartas como tema principal do livro.
Super recomendo, é uma leitura gratificante e maravilhosa, te ensina a filosfia da vida, da felicidade, do amor, das rosas, de cavalos lusitanos, que me encanta também, ah, que livro maravilhoso. Parabéns ao autor, que se surpreendeu muito nessa obra.


9 Comentaram:

  1. Adorei a resenha! Passa no meu blog e  participa do sorteio do livro o preço de uma lição. Beijos!
    http://palomaviricio.blogspot.com/2011/12/promocao-de-700-seguidores-do.html

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a resenha ! Acho que é a melhor ! Me fez querer ler ainda mais o livro.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde!
    Passando apenas para divulgar o novo projeto de resenhas literárias, o O Leitor: http://oleitor2.blogspot.com/

    Se puder participar, agradeço.
    Obrigada

    Pamela

    ResponderExcluir
  4.  Desde O mundo de vidro estou querendo ler outro livro do Mauricio Gomyde, e esse, com certeza, será o próximo.  Adorei, sem mais. 
    Gostei do lance do 3D.  rsrs

    (:

    ResponderExcluir
  5. Então né, 3D foi demais, mas foi o que consegui dizer... Obrigado por comentar Geh! Estou louco pra ler logo "O mundo de vidro", deve ser bom também...

    ResponderExcluir
  6. Está entre os meus favoritos. A linguagem do livro é bem... autêntica, eu diria. rsrs  

    ResponderExcluir
  7. Confesso que a literatura nacional não me agrada muito, não que tenha preconceito contra autores nacionais, é que não tive sorte de pegar livros bons, o que me deixou com pé atrás.

    Primeiro, quero ressaltar que a capa desse livro, como a do outro do autor são lindas, e que depois de ler a sua resenha me deu vontade de ler o livro.

    Parabéns pela resenha, que como sempre está maravilhosamente boa.

    ResponderExcluir
  8. Rafa, não li a resenha para não pegar spoiler, pois estou lendo o livro e qualquer coisa me desmotiva, rsrs.
    Mas assim que terminar de ler, comento aqui.A
    Abraço!

    ResponderExcluir