Review - Precisamos Falar Sobre o Kevin

escrito por Rafael Fernandes


Título Original: We Need to Talk About Kevin
Título Traduzido: Precisamos Falar Sobre o Kevin
Direção: Lynne Ramsay
Lançamento: 2012
Trailer: Youtube
Duração: 112 minutos
Assista: Aqui
Nota: 5 de 5

Sinopse
Eva (Tilda Swinton) mora sozinha e teve sua casa e carro pintados de vermelho. Maltratada nas ruas, ela tenta recomeçar a vida com um novo emprego e vive temorosa, evitando as pessoas. O motivo desta situação vem de seu passado, da época em que era casada com Franklin (John C. Reilly), com quem teve dois filhos: Kevin (Jasper Newell/Ezra Miller) e Lucy (Ursula Parker). Seu relacionamento com o primogênito, Kevin, sempre foi complicado, desde quando ele era bebê. Com o tempo a situação foi se agravando mas, mesmo conhecendo o filho muito bem, Eva jamais imaginaria do que ele seria capaz de fazer.


Opinião:
Pelo que li em várias resenhas deste livro no Skoob, eu percebi que o filme foi bem fiel na retratação da narrativa e mais ainda dos personagens, pra quem ainda não sabe, o filme foi feito com base no livro de Lionel Shriver, com o mesmo título, e no mesmo intuito de trazer suspense, tornando-o um clássico do cinema atual.

A trama se passa por cima de uma mulher estranha (Tilda Swinton), no começo eu diria, louca ou coitada, porque parecia que ela só sofria ou se atormentava com qualquer coisa. Eu já fiquei fadado a querer saber o destino dela, porque fiquei intrigado aonde toda aquela loucura daria... Eu não sabia por que os vizinhos batiam nela, ou as pessoas olhavam torto ou também a xingava publicamente sem nenhum pudor. A diretora do filme me faz crer que eu estava com medo, me dava tensão, adrenalina... Isso foi só o começo.

Já indo direto ao personagem de Kevin (Ezra Miller), achei sua atuação muito formosa, não no sentido dele ser muito magro ou até parecido com um lunático que só maltratava sua mãe com palavras frias. Mas não vi amor de filho para mãe, isso que eu quero dizer, ele parecia que não tinha alma, e desde que nasceu estava para planejar algo que se torna o suspense do filme. 

O mais interessante da caracterização dos personagens, é a aparência idêntica dos dois. As cenas são perturbadoras e por vezes difíceis de entender, como a mistura ou fusão das imagens da mãe e do filho, como fiz anteriormente na minha comparação deles, e também as partes de sangue, vermelho, tudo parecia se conectar com algo anormal, ou fazendo lembrar os pensamentos dos personagens principais.

Os personagens são perfeitos e fieis a atuação, e a trilha sonora mais ainda, não consegui ver nenhuma interferência dos sons musicais de fundo durante o filme, mas fez me ver o clima de conflito.

Precisamos Falar Sobre o Kevin, me fez acreditar que tem vários tipos de amor, e que a gente tem que aproveitar e muito a nossa mãe, não devemos falar que amamos-a de qualquer forma ou secamente, tem que dizer com toda vontade mesmo... Porque este Kevin parecia um demônio, e não quero me parecer com ele jamais.

Uma pena que o filme não tenha sido indicado ao Oscar. O filme merecia totalmente. Assistam!


2 Comentaram:

  1. Olá!
    Eu assisti o filme e sinceramente o amei! Agora preciso comprar o livro à todo custo, mas que custo uahea está amargo na livraria aqui. Bem, eu acho que no final de tudo o Kevin odiava o fato de amar a mãe dele. Se você for perceber, no filme inteiro ele fez tudo para ela (mesmo que ruim) e era como se os outros personagens fossem realmente descartáveis, enquanto ele sempre esteve prestando atenção à ela, mesmo que para irritá-la. A cena final eu achei a mais bonita, e achei extremamete sincero o abraço do Kevin.
    Parabéns pela review
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Andressah, eu não consegui acreditar muito no personagem de Kevin, nem no abraço no final do filme, eu acho que ele seja um psicopata... Que bom que gostou da review, fico tão feliz. Pelo filme, também terei que ler o livro, mas como tu disses o preço continua salgado, se houver promoção não me segurarei... ^^

    ResponderExcluir