Nunca leia por hábito!

escrito por Rafael Fernandes

Um livro não é uma escova de dentes. Leia por vício, leia por dependência química. A literatura é a possibilidade de viver vidas múltiplas, em algumas horas. E tem até finalidades práticas: amplia a compreensão do mundo, permite a aquisição de conhecimentos objetivos, aprimora a capacidade de expressão, reduz os batimentos cardíacos, diminui a ansiedade, aumenta a libido. Mas é essencialmente lúdica, é essencialmente inútil, como devem ser as coisas que nos dão prazer. [Crédito].

Realmente minha leitura está por hábito, mas isso não quer dizer que isso seja ruim, como diz as entrelinhas acima, ter hábito pra ler não é como escovar os dentes ou checar os e-mails todos os dias, e sim, uma droga viciante, no qual, quando se sente falta, ou está longe, mais se quer ficar perto, ou tocar, ou ainda que como toda prazer é ilusório, o mesmo se diz pela leitura, como fonte da nossa imaginação. 
Porque quando estou lendo, meus problemas somem, as pessoas ao meu redor dissipam, tudo o que eu queria ser já não existe mais, e apesar de estar consciente de onde estou, não estou no lugar, mas sim muito longe daqui. 
As vezes se torna pecado esse ato, se torna vício, eu sei, isso é sério, tem aqueles que são viciados em comprar livros, e não procuram tratamento, há ainda os que são viciados na leitura por metas, que tem porque tem que acabar o livro no mesmo dia, como se não fizesse por àquilo ao fim, seu dia estaria frustado e nada de bom foi feito no dia. 
Sugiro um pouco de lucidez, um pouco de prazer, sem correria, leia, como se tivesse escovando os dentes, sei lá, é só um hábito. Eu só leio pra me tirar do tédio, pra sair do meu quarto, pra saber como se pronuncia Xangai, ou como se escreve Xangai... Eu sinto que minha saúde cerebral está seja atingida beneficamente, meu tempo está ficando mais escasso, sinto mais prazer ao ler uma cena, do que em vez de assisti-la! Não leia por hábito, leia por prazer de pouco em pouco, e assim nunca será doente ou viciado ou qualquer coisa do tipo.


6 Comentaram:

  1. Texto muito bom, mesmo! Descobri algo que eu nem imaginava...
    Ler por prazer é uma das sensações mais incríveis que existem. Ainda mais quando o livro é daqueles "não largo enquanto não terminar". Mas como você disse precisamos de lucidez. Muita! 
    Eu geralmente leio devagar, gosto de prolongar a sensação de prazer que a leitura proporciona. Isso até mesmo em livros de cem páginas. Sobre comprar livros então... Ah, nesse quesito minha lucidez se eleva a mil. 

    (:

    ResponderExcluir
  2. Valeu Geh, quando eu vi o artigo me interessei bastante, e resolvi compartilhar! Preciso de um pouco mais de lucidez na hora de comprar, quanto a leitura preciso rever meu conceito de prazer, talvez eu esteja mais por metas, mas vou ler conforme minha vontade... See ya!

    ResponderExcluir
  3. Aione Simões Sérgio28 de janeiro de 2012 18:29

    Oi Rafa!
    Gostei bastante do seu texto!
    Também não vejo problema em se ler por hábito, assim como não vejo problema em se ler por motivo qualquer que seja. Se a leitura pra alguns funciona por meio de metas, que assim seja então. Acho que tudo é uma questão de permanecer no limite saudável da coisa, desde que não esteja fazendo mal pra pessoa, que ela faça como achar melhor.
    Afinal, ler é bom de qualquer forma não é?Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Com toda certeza, ter hábito é fundamental... Só ler é o que importa, não interessa o modo não é? Ler é bom demais, obrigado por comentar querida...

    ResponderExcluir