Resenha - Rin Tin Tin - Susan Orlean

escrito por Rafael Fernandes

Título: Rin Tin Tin (A Vida e a Lenda)
Autor: Susan Orlean
Editora: Valentina
Páginas: 308
Onde comprar: Aqui
Nota sobre o livro: 4  de 5

Sinopse
Ele achava que o cão era imortal. Assim começa a vasta, poderosa e comovente narrativa de Susan Orlean sobre a jornada de Rin Tin Tin – de sobrevivente órfão a astro do cinema e ícone internacional do showbiz. Suzan, redatora da New Yorker chamada de “patrimônio nacional” pelo Washington Post, passou cerca de dez anos pesquisando e escrevendo sua mais cativante obra: a história de um cão que nasceu em 1918 e nunca morreu. A narrativa começa num campo de batalha francês da Primeira Guerra Mundial, quando Lee Duncan, um jovem soldado americano, descobre um sobrevivente: um pastor-alemão recém-nascido nas ruínas de um canil bombardeado. Para Duncan, que passou parte da infância num orfanato, a sobrevivência do cão fora um milagre. Havia algo em Rin Tin Tin que o compelia a compartilhá-lo com o mundo. Duncan o levou, então, para a Califórnia, onde suas aptidões físicas e a capacidade de representar chamaram a atenção da Warner Bros. Durante os dez anos seguintes, Rinty estrelou 23 sucessos do cinema mudo que salvaram o estúdio da falência e fizeram dele o cão mais famoso de todos os tempos. No auge da popularidade, Rin Tin Tin foi o campeão de bilheteria de Hollywood. Ao longo das décadas seguintes, Rinty e seus descendentes fizeram a conturbada jornada do cinema mudo ao falado, do preto e branco à cor, do rádio à televisão, culminando no seriado de TV As Aventuras de Rin-Tin-Tin, um dos mais populares programas da época do baby boom. O legado do cão herói foi consolidado por Duncan e alguns outros – como Bert Leonard, o produtor do seriado da TV, e Daphne Hereford, a proprietária do atual Rin Tin Tin –, que dedicaram a vida para assegurar a imortalidade da lenda.

Na essência de Rin Tin Tin – a Vida e a Lenda há um tocante estudo do duradouro vínculo entre os humanos e os animais. Mas o livro é também uma história ricamente matizada da indústria do entretenimento e do empreendedorismo no século XX. Abarcando um período de 90 anos, ele aborda a mudança de status dos cães, de ajudantes em fazendas a membros diletos das famílias urbanas, da origem do treinamento para a obediência à evolução genética das raças, da ascensão de Hollywood ao passado e presente dos cães de guerra. 

Resenha:
Para quem é cinófilo de paixão Rin Tin Tin (A Vida e a Lenda) tem tudo para ser uma leitura maravilhosa e emocionante. Rin Tin Tin nos revela a história e todos os bastidores da vida de Rin Tin Tin e seu dono Lee Duncan, tudo sob o ponto de vista de Susan Orlean, autora do livro.

Logo no início do livro a autora já nos conta como surgiu o nosso querido pastor-alemão, em meio a Primeira Guerra Mundial, Lee conseguiu salvar Rin Tin Tin num repente sem igual, até então sua vida seguia normalmente. Passados alguns anos, o cachorro passou a ser treinado e atuar nas telas dos cinemas. Rin Tin Tin podia saltar mais de três metros, assim como também podia saltar no tempo, o que nos faz remeter que ele é lembrado até hoje. Rin Tin Tin já tinha se tornado um ícone mundial.

O personagem principal também era chamado de Rinty, adorava sorvete, o que pode assustar um pouco o leitor é que Rinty também era um cachorro normal como outro qualquer, mas ele também era especial. Por toda a vida de Rinty a autora conseguiu desobstruir todos os segredos da vida dele neste livro, ela começa antes mesmo de Rinty nascer até chegar nos dias de hoje com toda a memorável lembrança de como era nos tempos de 1918.

"A história de Rin Tin Tin continha todas as formas de devoção - a devoção a uma ideia, a devoção a um amigo e a devoção quase mágica de um animal a um ser humano." Página 42

Portanto, acho bom ressaltar que a autora me fez acreditar que estava assistindo tudo o que ela contava, porque tudo parecia que ela tinha provas do que estava contando e tinha mesmo, e eu sabia que tudo era verdade, sua jornada em descobrir todos os mínimos detalhes, buscar por personagens ainda vivos, pesquisar em museus e afins, me fez perceber o quão aficionada é a autora por Rin Tin Tin,

O personagem Rinty demonstrava muita ousadia e coragem, ele tinha (e ainda tem) milhares de fãs que quando sempre saía um filme novo sobre ele, os cinemas se abarrotavam de telespectadores loucos para conferir mais um grande sucesso dele. Rinty, quando não podia mais atuar no cinemas ia para a TV, visitava várias escolas, instituições, viajava por todo o lugar pautando vários eventos, Lee não queria que Rin Tin Tin fosse apagado da história do cinema, nem mesmo de sua vida.

É fato e não spoiler que sabemos que Rin Tin Tin teve vários sucessores, uns bem sucedidos outros nem tanto, mas nenhum se igualara ao primeiro Rinty, tão formidável e inteligente, isso Orlean fazia questão de frisar. Acho que para os fãs do Rinty ler essa obra será compensador e ao mesmo tempo tocante, porque se trata de uma obra completa, do crescimento ao decrescimento em sua carreira, do nascimento à morte do seu estrelato, a fama, críticas e mais críticas. Detalhes, detalhes, detalhes, o leitor ficará fascinado com isso, porque é uma coisa que a autora adora abusar.

"Era uma vez um filhote que foi achado por acaso, tornou-se um astro, inspirou pessoas, representou algo grandioso e entrou para a história." Página 127

Rinty em sua fama foi disputado por vários produtores, diretores, patrocinadores, todo mundo queria um pedaço da mina de ouro que era esse extraordinário pastor-alemão.

Muitas e muitas curiosidades sobre o cachorro mais famoso do mundo, como por exemplo: Rin Tin Tin foi quem deslanchou mais de 100 mil telespectadores ao cinema (isso era muito naquela época), enquanto isso a Warner Bros. se enricava mais do que nunca. Enquanto isso, Rinty também fora premiado como melhor ator em um de seus filmes, como o prêmio Emil Jannings em Tentação da Carne e A Última Ordem.

Senti pelas palavras de Orlean muuuita nostalgia, daquelas que te faz relembrar dos primórdios do cinema e da TV, Rin Tin Tin atuava além de programas de TV, como também em programas de rádio, em livros interpretando por exemplo uma babá... Rinty não parava de trabalhar, até hoje é considerado sinônimo de amizade, perseverança, coragem e determinação. Enfim, seguindo todas as gerações clássicas de Rin Tin Tin.

Uma perfeita enciclopédia para os fãs cinófilos.

Tudo bem que as histórias tem seus altos e baixos, o que posso observar que parar na página 107 por mim já estaria por satisfeito, mas preferi seguir e ver o rumo que a autora queria nos dar.

Rin Tin Tin é o rei do cinema mudo. Incrível seria mesmo acompanhar toda a trajetória de pertinho de Rinty, voltar no passado e tocar em sua pelagem escura, mas por enquanto me sustento com as palavras da autora, até porque a autora escreve super bem, não nega nenhum detalhe e quer porque quer que a história seja de alguma maneira tocante aos seus leitores, ela quer conquistar mais fãs para Rinty. A autora não deixa o leitor cansar, até porque o assunto é bem interessante, ela até questiona o motivo de escrever esta obra, o que aliás levou mais de 10 anos.

Lee, oscilava na riqueza, é claro que ele adorava o que fazia, mas ser rico não era seu maior objetivo, até porque sabia que Rinty não seria para sempre, mas também sabia que sempre haveria um Rin Tin Tin, que ele seria imortal. Até hoje o mesmo nunca fora esquecido, mas apesar de ter se passados mais de 10 gerações de Rin Tin Tin's nas telas, Rinty é lembrado como um herói até hoje, daqueles que exemplifica e inspira pessoas e personagens. O livro é indicado para todo família, é um guia completo sobre a vida completa do cachorro mais conhecido do mundo. Leiam!


9 Comentaram:

  1. Ei Rafa,

    Eu chorei tanto com um deste filmes do Rin Tin Tin, que só de ler a resenha fiquei emocionada. não sei se vi a versão com o cão original, mas o livro parece ser tão lindo. Adorei, nunca tinha visto resenha sobre ele.
    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Fer,

      Eu fui pegar uns filmes (e afins) do Rin Tin Tin no Youtube pra ver, comecei a chorar, muito bom mesmo, me fez lembrar todos os detalhes do livro. =D
      Acho que para assistir filmes do primeiro Rinty só em preto e branco, porque me lembro que quando a cor chegou, Rin Tin Tin atuava menos do que antes.

      Obrigado! ^.^

      Excluir
  2. fiz um post no meu blog sobre como começar a ler em ingles, então vi um comentário seu em outro blog. Dê uma olhadinha lá e se gostar, compartilhe. Adorei seu blog!
    www.projetosnopapel.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Ai Rafa, estou doida pra chegar a vez desse livro aqui na fila. Assisti alguns episódios da série no passado, mas era pequena e não lembro de muita coisa. Como AMO cachorros, sempre me emociono com qualquer livro que os envolva. Não vejo a hora de ler *-*
    Adorei a resenha!!

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
  4. Como assim eu não sabia desse livro? Tenho ótimas lembranças do Rin Tin Tin! OK, provavelmente a maioria deve ser de seus sucessores, mas, mesmo assim, esse cão é uma lenda e já fez a alegria de muita gente. Quero ler.
    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro conta tudo, você vai ficar surpreendida com o trabalho da Susan Orlean. *-*

      Excluir
  5. UAU Rafael, eu adorei a sua resenha. Sério, ficou super completa e analisada. Também já li e resenhei esse livro lá no blog e concordo com vários pontos que você abordou. É surpreendente e notável o trabalho persistente da autora. Queria ver os filmes... Beijos, Fê

    ResponderExcluir
  6. Obrigado Fê!
    Eu adorei o livro, e já vi uns filmes por causa do livro acredita? Beijos.

    ResponderExcluir