Tente evitar a repetição dos mesmos gêneros, dos mesmos temas, dos mesmos estilos, dos mesmos autores

escrito por Rafael Fernandes

A grande literatura está espalhada por romances, contos, crônicas, poemas e peças de teatro. Nenhum gênero é, em tese, superior a outro. Não se preocupe, aliás, com o conceito de gênero: história, filosofia, etnologia, memórias, viagens, reportagem, divulgação científica, auto-ajuda – tudo isso pode ser literatura. Um bom livro tem de ser inteligente, bem escrito e capaz de provocar alguma espécie de emoção. [Crédito].
Eu sou daqueles que leem por modinha, mas não tanto por assim dizer, devemos ler algo que nos interesse, experimentar novos gostos, novas aquisições estranhas, coisas que jamais lemos, talvez gostemos ou talvez não, talvez até amemos, talvez nada aconteça também.
Já li tudo quanto é tipo de literatura e quase sempre me agradam todas elas, coisa que eu adorava era ler crônicas do Veríssimo, e os pequenos contos do Carlos Heitor Cony, quando não, eu pegava um livro difícil pra ler, de linguagem rebuscada, que eu nunca ia com a cara dele, o tal do Os Lusíadas, até hoje nem aguento chegar perto desse livro, não sei se foi trauma de infância, mas acho que tive um bloqueio por essa causa, de não entender nada que o autor queria que eu entendesse, mas fui obrigado a ler, e não senti nada nessa leitura, senão desprezo, há tantos outros que gostei, tipo Vidas Secas - Graciliano Ramos e Memórias de um Sargento de Milícias - Manuel Antônio de Almeida .
Gosto de ler sobre filosofia e da filosofia, de livros históricos, que contam as dores das pessoas que passaram na 2ª Guerra Mundial, ou da 1ª, um livro que me guia aos centros culturais de um país também é de grande valia, um livro que informa, além de cativar, também dá estrutura para um conhecimento rico na base em questão. Não se pode ler um livro por ler, lembrar da história e ponto final, pra mim um livro deve ser usado, discutido, colocado como exemplo diante de outro, também deve ser rabiscado, criticado, deve ser informativo, recreativo, e com toda certeza divertido, ninguém gosta de livros chatos... Claro!
Tem gente que gosta de frisar que tem um autor preferido, que só gosta de tal gênero, é isso e pronto, não vou gostar do seu autor porque ele não faz meu estilo, não quero saber. Afinal, oportunidades de leituras sempre surgem ao acaso, repetir o mesmo padrão de leitura é quase que um crime para a nossa dicção de coletar informações ao conhecimento futuro...
Enfim, livros à parte, estantes ao nosso lado, amigos também, vamos incentivar à leitura de livros sim, mas de livros que dão conhecimento alheio, dão palavras requintadas para todos nós brasileiros, vamos mudar de linguagem daqui a um tempo, e não podemos dialogar com um contexto sem nenhum porém, e nenhuum portanto, mas com uma casualidade mais administrada. Espero que leia livros que goste e que lhes traga sempre conhecimentos ricos e de maravilhosas emoções.


7 Comentaram:

  1. Exatamente o que acho. Li um "Familias terrivelmente felizes" por explorar novas leituras. Antes estava no mesmo genero policial juvenil e aventura. Gostei do FTF e procurei novas leituras, porem querendo encontrar um pouco de Aquino nestes novos livros. Minha segunda leitura explorando novos generos foi "A face horrivel" de Ivan Angelo, que tem seus altos e baixo, mas que mesmo assim, chega a ser incrivel em certas partes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nick, isso mesmo, explorar novas leituras nos traz uma bagagem de conhecimento incrível, mudar de gênero de vez em quando não faz mal, só tentar... Viu só, se você gostou, aposto que todo mundo irá gostar de fazer isso.

      Excluir
  2. Excelente post, Rafa! Eu sou meio um-tipo-só mas de vez em quando eu amplio meus horizontes para outros ramos literários e isso é enriquecedor, de repente a gente se pega amando um livro que nunca imaginávamos, né?
    Bjossssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por exemplo, ler seu livro pra mim, foi confortador! ^^

      Excluir
  3. Sou extremamente nômade entre os gêneros literários. Leio (e gosto) de tudo um pouco. Desvendar novos mundos e conhecer coisas novas, tudo isso podemos encontrar em nos livros, independentemente do gênero.

    (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sou assim, me pego lendo um livro estranho e gostando dele também. Concordo com você.

      Excluir