Resenha - Príncipe Sombrio - Christine Feehan

escrito por Rafael Fernandes

Príncipe Sombrio
Autora: Christine Feehan
Onde comprar: Aqui
Nota sobre o livro: 5 de 5

Sinopse:
Mikhail Dubrinksy é o Príncipe dos Cárpatos, o líder de uma sábia e secreta raça ancestral que vive na noite. Tomado pelo desespero, com medo de nunca encontrar a companheira que iria salvá-lo da escuridão, a alma de Dubrinksy gritava na solidão. Até o dia em que uma bela voz, cheia de luz e amor, chegou a ele, atenuando sua dor e seu anseio. Raven Whitney possui poderes telepáticos e os utiliza na captura dos mais depravados serial-killers. Desde o momento que se conheceram, Raven e Mikhail foram incapazes de resistir ao desejo que faiscava entre eles. Mas forças sombrias tentarão destruir esse frágil amor. E mesmo que sobrevivam, como poderão - cárpato e humano construir um futuro juntos?

Resenha:
Quem dera se não fosse mais um livro sobre vampiros. No começo da narrativa eu cheguei a pensar que era sobre lobisomens, poder da mente, depois tudo muda minha humilde opinião quando chega o Cárpato Mikhail sobrepondo qualquer um em sua presença. Totalmente arrebatador e enigmático.

Príncipe Sombrio é um YA muito fogoso, sexy e ao mesmo tempo excitante, totalmente. Não recomendo a leitura para menores, já sobrevenho isto, visto que volta e vira as cenas picantes voltam, e é uma parte que eu adorava ler, se posso dizer bem assim.

O personagem Mikhail, que lembrou no começo nome de mulher, me lembrava àqueles valentões da selvageria em tempos remotos por causa de suas atitudes machistas, que amava, mas tinha a pungência de sempre de querer mandar, dar ordens, já que ele era o príncipe de seu povo, ele tinha isso em seu sangue e gostava do que fazia, de repente aparece Raven... Pobre Raven, ela que não gostava de ser controlada, se apaixona abrutadamente pelo brutamontes, os dois tem uma ligação frenética, quase como um imã se gruda ao outro, desde o primeiro momento de encontro, suas mentes sempre ficaram interligadas, a distância para os dois não existiam mais, ela descobriu que ele era um vampiro, e ele descobriu que ela é uma caçadora de serial-killers e que ela tinha um poder psiquico de ler mentes, assim como ele.
_ Eu não quero que você me deixe, pequenina. Tenha a coragem de ficar comigo. Talvez eu seja um monstro. Não sei mais, só sei que preciso que você fiquei comigo. Página 103
Muitos acontecimentos são sobrepostos depois da metade do livro, então não desanime o leitor se achar que a história só tem parte excitante, não! Tem lá seu lado melodramático, e de muita aventura, digamos assim, a autora nos deixa viajar e nos faz imaginar as cenas precedentes, que ela não faz questão de descrever com presunção, senti falta disso, pois a autora se preocupou mais em demostrar os sentimentos dos personagens.

Um livro feito de uma bela maestria, faz tempo que não leio um livro sobre o tema, e me espantei com a desenvoltura com que o livro tomou, pra mim era mais um romance, mas depois tudo muda, e nossa cabeça começa a acreditar em certas coisas que não costumávamos acreditar, como vampiros tinham como poder de cura à terra, eles dormem debaixo da terra? Acreditem ou não Raven não gostava dessa ideia, não gostava da ideia de ter que suportar ficar sem ar, sem ver luz e ninguém, como ela iria sobreviver a vida de uma Cárpato, ou se conseguisse sobreviver, pois raramente uma humana conseguiria se transformar numa com sucesso, se não por ficar louca.

Ditado em 3ª pessoa, com uma diagramação perfeita, e pequenos erros de digitação, a editora está de parabéns, em tudo, inclusive pela capa magnifica, que com certeza muitos comprariam por esta parte, mas ficariam tocados com a enormidade da imaginação da autora para princípios de amores impossiveis.

Uma leitura super agradável, com um vocabulário riquissimo em termos vampirescos, esse não pode faltar na estante de um adorador de personagens de fantasia. Leiam todos, menos as crianças, claro!


15 Comentaram:

  1. Um YA não recomendado para menores??? EU QUERO! hahah

    Adorei, quero um pra mim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já posso sentir daqui que você irá adorar!!!

      Excluir
  2. PRECISO DESSE LIVRO MAIS DO QUE RESPIRAR!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manu, eu nem consegui respirar lendo esse livro, é daqueles picantes mesmo, mas com um tom de sobrenatural! Demais!

      Excluir
  3. Acompanhei seu histórico de leitura pelo Skoob, e, logo tive a sensação de que precisaria ler esse livro, sabe?!
    Ele é bem grandinho, não é mesmo? Quanta história não deve ter nessas mais de 460 páginas...
    Quero ler! Principalmente, por saber que não é para menores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim, principalmente por causa dessa parte? Esse livro é muito safado, em certas partes, quer dizer, em muitas partes, mas eu gostei, é meio que masoquista, um pouco, mas divino ao mesmo tempo! Bom saber que acompanhas minha leitura! ^^
      Beijos!

      Excluir
  4. Príncipe Sombrio não é YA, é paranormal adulto mesmo... YA não pode ter certas cenas que a gente define como "mais caliente", o editor corta por causa do público alvo :D Mas eles acabam caindo na prateleira de Jovem-Adulto porque os livreiros as vezes confundem na hora de expor o livro. Aliás, nem Insaciável da Meg Cabot é YA, e sim paranormal adulto. Mas como é da Meg, os livreiros colocam entre os YA's, o que eu acho mega errado, porque uma adolescente de onze, doze anos pode acabar pegando o livro para ler e eu não acho que seja a hora pra certas cenas... Mas enfim, fazer o quê! hahahaha
    Não sou fã de romances do gênero e sempre rio quando leio Cárpatos, porque eu lembro de carrapatos hahahaha Mas enfim, gostei muito da resenha, quase fez eu me interessar pelo livro se eu não tivesse de saco cheio de sobrenatural.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão Iris, por isso eu coloquei que não recomendaria para menores... É puro sexy, e totalmente eloquente à excitação!
      Gostei da sua leitura de Cárpatos, ri muito! Espero que leia um dia, convenci, hein... Beijos!

      Excluir
  5. Não tinha a menor vontade de ler tal livro,mas depois de sua definição como: sexy,fogoso e excitante.Já mudei de ideia..rss
    Sério!Fiquei curiosa para conferir tal narrativa.
    Ótima resenha,Rafa!
    Bjs..
    Zilda Mara
    Cachola Literáeria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, consegui mudar sua ideia, estou feliz agora. Digamos que não seja tão narrativa, mas que vai adorar isso vai.

      Excluir
  6. Nossa! Estou lendo esse livro agora e quando vc postou a resenha, eu li mas não pude comentar (porque o blogger não me deixa comentar do laptop), eu ainda estava meio desanimada. A leitura estava somente sexual...

    No mesmo dia, eu cheguei num ponto da história que eu simplesmente não queria mais largar o livro... Aí eu entendi o que você falou na resenha! Tudo fez sentido pra mim!

    Estou gostando da leitura e é muito sexual, as vezes quase primitivo... muuuuuuito bom! Quando eu terminar eu deixo minha impressão geral da história no blog! rsrsrs

    Bjinhus,

    Sa (mundo-sa.blogspot.com)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você veio aqui Sa. O livro é muito gostoso de ler, eu cheguei a pensar que só ficaria nessa parte do sexo, mas vai ficando melhor com o passar das páginas, eu gostei bastante... Aposto que você também deve estar gostando...

      Excluir